sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Um brinde!



O autor J.B. Vilhena publicou texto na última Venda Mais de 2012 propondo um brinde e tendo gostado do texto, compartilho com os amigos:
“...um brinde a você que:
- não perdeu seu tempo reclamando do azar;
- não ficou com pena de si mesmo;
- correu atrás das metas que estabeleceu no início do ano;
- acordou todos os dias sabendo exatamente o que queria;
- ganhou antes de gastar;
- procurou fazer a diferença para outras pessoas;
- soube amar a quem lhe ama;
- deu atenção aos verdadeiros amigos;
- descobriu novas formas de resolver antigos problemas;
- riu muito;
- tentou compartilhar o que tinha de bom;
- distribuiu felicidade;
- cuidou do corpo, da mente e da alma;
- investiu no seu próprio desenvolvimento pessoal e profissional.”
                Todavia, se você eventualmente estiver entre aqueles que fizeram muito pouco ou até nada disso, é preciso refletir sobre o que você está fazendo sobre a sua vida. Cada um de nós tem capacidade para escolher e decidir entre várias opções. A vida que temos é o resultado, a consequência, daquilo que fizemos a mais tempo e em parte, do que estamos fazendo neste momento. Portanto, quem quer resultados diferentes, precisar começar a mudar agora! Um brinde e felicidades, amigos!

 Aproveito o espaço para desejar um feliz e abençoado Natal para todos os amigos leitores, na alegria da companhia dos seus mais queridos!
    

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Você é quem escolheu ser!


Compartilho nesta semana a frase de T. Harv Eker “Pensamentos conduzem a sentimentos. Sentimentos conduzem a ações. Ações conduzem a resultados.” para lembrar a minha vida e a sua vida são sempre resultados do que fizemos e do que estamos fazendo.
 
Nesta época, conforme já falamos aqui, é comum avaliarmos o ano que passou e passarmos a desejar, a querer, novidades, mudanças para o próximo ano. Muitas vezes vemos pessoas avaliarem a vida toda neste momento e por isso recordo o autor Paulo Arden, dizendo que “Quando olhar para trás, haverá coisas de que você vai se arrepender. Você tomou a decisão errada. Errado. Você tomou a decisão certa.”
A única verdade é que a nossa vida é feita de decisões pequenas ou grandes ao longo de toda a vida. Estudar mais, ou trabalhar mais? Beber água, cerveja, suco ou vinho? Investir numa casa ou num negócio? Morar nesta ou naquela cidade? Férias na serra ou na praia? Cada palavra que escrevo aqui, tem uma escolha, seguida de uma decisão. Na verdade, tudo o que fazemos são escolhas e somos frutos destas escolhas e destas decisões. Então, do que se arrepender, mesmo? Você, eu, num conjunto de detalhes, somos as pessoas que escolhemos ser, a partir das nossas decisões e das nossas atitudes!
                Não esqueça disso ao avaliar o seu 2012 e planejar o seu 2013!

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Plenitude e felicidade em 2013


                Compartilho também com os amigos, as dicas do empresário, consultor e professor  Heinz, para o alcance da plenitude e felicidade em 2013.
Tenha sonhos: é o primeiro passo para se chegar onde se quer.
Aprenda com o passado: visualize o futuro, lmas, principalmente, coloque toda a inteligência e sua força no presente.
Tenha foco no que é importante para a sua felicidade: faça uma lista de coisas que o deixam feliz e procure fazê-las.
Simplifique sua vida: ás vezes menos é mais. É muito fácil nos tornarmos escravos do que conquistamos.
Aceite as diferenças: lembre que as pessoas são diferentes e que não podemos mudá-las. Portanto, procure não julgar ninguém. Você não precisa concordar com todo mundo, mas deve respeitar.
Pergunte o que não souber: lembre que a humildade é sempre apreciada e é pergundando que se aprende e se cresce.
Tenha admiração por alguém: eleja um modelo ou referência, mas cuidado para não confundir com a inveja, que é inimiga mortal da felicidade.
Reconheça seus pontos fortes: fortaleça-os ainda mais, acredite sempre em si e siga em frente.
Seja grato: a Deus e a vida.”
Com estas palavras, espero sinceramente que os amigos possam avaliar com tranquilidade o ano de 2012 e planejar-se para um 2013 pelo de felicidade na vida e prosperidade nos negócios!
Um grande abraço!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Eu desejo X eu quero


Um dos muitos autores que tem me impressionado ultimamente é Paul Ardem. É dele o pensamento que compartilho para os amigos refletirem nesta semana “O mundo é o que você pensa dele. Portanto, pense nele de um jeito diferente e sua vida mudará".

Compartilho as definições de Paul Arden, para duas expressões que serão muito pronunciadas (em pensamentos e palavras) nos próximos dias, ao nos darmos conta de que 2013 está chegando. Para Arden, autor de alguns dos livros mais vendidos no mundo, “EU DESEJO significa: não seria bom se...” Para ele “Se você sempre tomar a decisão certa, aquela que a maioria das pessoas toma, você vai ser igual a todo mundo. Sempre desejando que a vida fosse diferente.”
Por outro lado, o mesmo autor define que “EU QUERO significa: se quiser mesmo uma coisa eu terei. Ter o que você quer significa tomar as decisões que precisa, para obter o que quer. Não as decisões que aqueles ao seu redor acham que deveria tomar. Tomar a decisão certa é chato, previsível e não leva a nada novo. A decisão arriscada faz você pensar e reagir de um jeito que nunca havia pensado antes. E este pensamento levará a outros pensamentos que o ajudarão a conseguir o que quer. Comece a tomar más decisões e isto o levará a um lugar onde outros apenas sonhariam em estar.”
Espero sinceramente, que estas ideias contribuam com o seu planejamento para 2013, lembrando sempre que ninguém chegará a uma condição diferente da atual, fazendo sempre as mesmas coisas e do mesmo jeito.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Escola Superior de Gestão e Negócios


                Os profissionais que buscam qualificação em gestão e negócios tem agora uma nova opção e oportunidade de formação de profissionais para o mundo corporativo, com o início das atividades da Escola Superior de Gestão e Negócios da Unijuí - ESGN. A iniciativa inovadora oferece cursos de qualificação e aperfeiçoamento profissional e especialização, nos campi e pólos da Unijuí, em instalações de instituições parceiras, como cursos in company, desenvolvidos sob medida para as empresas, entidades ou grupos de empresas, além de apoio para o desenvolvimento de Universidades Corporativas.
A ESGN se diferencia além de cursos inovadores, por olhar para as empresas como laboratórios de inovação, ter os professores como consultores organizacionais e os alunos como projetos de executivos de alta performance. Trata-se de uma iniciativa de valor estratégico que os executivos especialmente do RS e SC tem a disposição a partir de agora, para sua formação continuada e de suas equipes.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

O que motiva sua equipe?


Neste período em que avaliamos o ano que finda e começamos a pensar em 2013, a frase que compartilho para os amigos refletirem nesta semana é de Tony Hsieh, CEO da Zappos.com “Persiga a visão, não o dinheiro. O dinheiro vai acabar seguindo você".

Uma pesquisa da empresa Tekcare vem avaliando ao longo de 22 anos, cerca de 40 empresas com uma média de 300 profissionais. Esta pesquisa é utilizada por vários colunistas, palestrantes e escritores ao abordarem o tema motivação, dentre eles Claudio Diogo, que recentemente palestrou na Expovendamais (Curitiba) sobre o assunto.
A pesquisa aponta que 25% das pessoas da equipe se motiva por desafios e responsabilidades que proporcionam realização pessoal. Portanto, este é mais um dos motivos pelos quais a sua empresa deve ter metas claras e distribuição de responsabilidades para as equipes.
20% dos entrevistados se motiva mais para obter o apoio do líder. Desta forma, a atenção do gestor para com seus liderados é fundamental para pelo menos 1/5 da sua equipe estar motivada e produzir melhor. Já 14% afirma que o apoio da família é o maior motivador. Para estes, a organização precisa envolver melhor a família nos objetivos da empresa e do próprio colaborador.
12% disseram se motivar mais por objetivos pessoais, o que mostra que você precisa estar atento as necessidades individuais de cada pessoa que trabalha contigo, pois estes proporcionarão melhores resultados, se forem atendidos em suas particularidades.
11% dizem que se motivam por treinamento e é mais uma informação que aponta para a necessidade de investimentos em qualificação contínua de sua equipe. 9% afirma que se motiva por acreditar nos produtos que vende como solução para as pessoas. Estes, fiéis ao que desejam proporcionar aos clientes, devem receber um suporte diferencial da empresa a fim de potencializar a sua ação.
 Finalizando, 9% afirma que se motiva quando recebe melhoria salarial. Para estes a empresa pode pesquisar e mostrar os benefícios oferecidos, comparando benefícios e salários com a realidade do entorno da empresa.
Está cada vez mais claro que as pessoas se motivam por fatores bem diferentes entre si e que aumento de salário não é o único, nem mesmo o mais importante fator de motivação das pessoas. Desta forma, a sua empresa precisa diversificar a forma de motivar sua equipe e buscar conhecer a cada um, mais profundamente, para buscar alinhar os seus interesses, aos interesses maiores da empresa.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Relacionamento das equipes


Nesta semana sugiro a frase de T. Harv Eker “Quem quer manter o jardim bonito não guarda um canto para as ervas daninhas”, para refletirmos sobre nossos pensamentos e atitudes no nosso dia-a-dia.

A preocupação em ter equipes se relacionando melhor e se desenvolvendo para buscar junto com os gestores a maior prosperidade, está cada vez mais presente nas organizações dos mais diversos setores, porte e origens. A boa gestão dos conflitos, a melhora do clima organizacional, a manutenção dos talentos do grupo, a atração de novos talentos são motivos de sobra para buscarmos continuamente entender aos nossos grupos e desenvolver ações em favor da melhoria dos relacionamentos internos.
O ambiente, a família e tudo o que rodeia o indivíduo, conforme Reis et al (2005) interfere em sua maneira de ser e este indivíduo vai, pouco a pouco, desenvolvendo habilidades próprias, valores e crenças que passam a determinar sua forma de ver e interpretar o mundo. Desta forma, para gerir uma equipe precisamos compreender as pessoas de forma completa e desenvolver ações que levem em conta o colega de trabalho em todas as suas dimensões.
O respeitado autor Idalberto Chiavenato (2009) afirma que “cada pessoa é um fenômeno multidimensional sujeito às influências de uma enormidade de variáveis ambientais.” Assim, para buscar a melhoria dos relacionamentos nas organizações é fundamental que todos entendam o conjunto de influencias que entusiasmam ou desmotivam, envolvem, comprometem ou não, as pessoas de sua equipe, para que a gestão desenvolva um conjunto de ações para que todos produzam dentro das suas melhores condições.
O pensador Octavio Paz por Angeles Arrien lembra que “o que movimenta o universo é a interação, a atração e a repulsão entre diversidades. Pluralidade é vida, uniformidade é morte. Ao suprimir diferenças e peculiaridades, ao eliminar diferentes civilizações e culturas, o progresso enfraquece a vida e favorece a morte.” E quantas vezes vemos gestores querendo que todos ao seu redor pensem e ajam de forma idêntica? A médio e longo prazos esta postura leva a organização a decadência, uma vez que é a diversidade de ações e pensamentos que gera inteligência, produtividade e prosperidade. Pode não ser muito cômodo conviver com quem pensa e age diferente, mas é a comodidade, a rotina que acaba com os relacionamentos, com organizações e com a competitividade. Respeitar as diferenças de uma equipe e saber alocar as atividades aos colegas com a melhor aptidão para aquela exigência, está entre as melhores e mais importantes habilidades que um líder deve ter e desenvolver nos seus liderados.
O líder, na condução da equipe, deve desenvolver para si e proporcionar o desenvolvimento em seus liderados, da competência interpessoal. Ao contrário do que alguém poderia pensar, a competência interpessoal não é um dom ou talento inato da personalidade, e sim é uma capacidade que se pode desenvolver por meio de aprendizagem de cada pessoa, com leituras, atividades de auto-conhecimento, atividades vivenciais, mudanças de hábitos diários, mudanças na forma de pensar e de agir consigo mesmo e com os outros.
Desenvolva a sua competência interpessoal e de sua equipe e aproxime-se mais da prosperidade desejada para 2013 e para o futuro de seus negócios.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Necessidade de inovação no varejo


Para a reflexão desta semana sugiro a frase de Eleonor Roosevelt que lembra que a criatividade sempre significa fazer o que não nos é familiar. 
   
O estudo global Digital Shoppers Relevancy ouviu 16 mil consumidores em 16 países diferentes  e aponta mudanças significativas e a rápida inovação dos canais de varejo tradicionais e eletrônicos, de acordo com a preferência dos consumidores.
O relatório mostra que os consumidores não são fiéis a um único canal e esperam uma integração entre lojas on-line, mídias sociais, soluções móveis e lojas físicas. 60% dos respondentes declararam que esperam que a convergência dos canais se torne uma regra até 2014, quando a experiência de compra unificada será comum. No entanto, isso será um desafio, já que mais da metade dos consumidores disseram que a forma como os varejistas, em sua maioria, posicionam-se atualmente nos diversos canais, não é consistente.
O Brasil está na lista dos países que detém uma evolução mais significativa em consumo por meio de canais digitais, junto com China, Índia, México, Turquia e Rússia, confirmando que os países em desenvolvimento têm avançado mais rápido nesses processos do que as economias tradicionais.
Os consumidores estão mais inclinados a usar canais digitais ao comprar produtos eletrônicos de alto valor, em comparação com outras categorias (eletrônicos comuns, moda, alimentação, materiais de construção, saúde e cuidados pessoais). Em todos os países, 54% dos entrevistados realizaram compras on-line de eletrônicos nos últimos seis meses e 59% dos consumidores digitais nessa categoria são homens.
“Mais de 2/3 dos clientes digitais no Brasil, Índia, México, China e Turquia disseram que estão interessados em conhecer novos produtos nas redes sociais e blogs. Isso significa também que existem grandes oportunidades para os investimentos no mercado de varejo e empresas de bens de consumo no Brasil”, comenta o Executivo Chefe da Capgemini (empresa responsável pelo estudo) no Brasil, José Luiz Rossi.
                Destacam-se outras conclusões do estudo:
- o website é o canal mais importante em um processo de compra, para 80% dos consumidores dos países em desenvolvimento, e para 63%, em países desenvolvidos. No entanto, canais como mídias sociais, aplicativos de celulares e quiosques dentro das lojas estão se tornando cada vez mais populares como canais de varejo alternativos;
- mais da metade dos consumidores disseram acreditar que, até 2020, as lojas físicas se tornarão apenas showrooms de produtos que poderão ser selecionados e encomendados;
- 73% dos consumidores disseram acreditar que os preços são mais baixos nas lojas virtuais do que nas físicas;
- 56% dos entrevistados gastam mais em uma loja física se tiverem realizado pesquisas prévias sobre o produto em canais digitais;
- 61% dos consumidores responderam que querem que as lojas on-line se lembrem de seus históricos para agilizar as compras, mas só 41% querem ser identificados via smartphone ao entrar em uma loja física.
                Sabendo destas informações você pode planejar a inovação nos seus negócios de varejo para 2013, diversificando e integrando cada vez mais os diferentes canais de vendas e de comunicação com seus clientes.
Um abraço e o desejo de ótimos negócios a todos!

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

"A melhor hora de vender é agora"


O bacharel em administração, especialista em Marketing e Mestre em Engenharia de Produção, Marcelo Blume, em entrevista ao Jornal das Missões, dá algumas valiosas dicas de como as empresas podem fazer melhor uso dos recursos extras que circulam no final do ano, provenientes do 13º salário pago aos trabalhadores. Também, dá algumas orientações para que lojistas ampliem suas vendas de forma permanente. Marcelo Blume também é professor de graduação da Unijuí e outras 15 instituições do RS e SC em cursos de especialização. É sócio e consultor da Referenda Consultoria, palestrante, pesquisador e escritor, com 42 artigos acadêmicos e quatro livros publicados na área de gestão. Confira abaixo a entrevista:
JM – O que as empresas devem fazer para incrementar suas vendas neste final de ano?
Blume – Há muito o que se pode fazer neste momento em que a cada ano mais e mais pessoas consomem mais. Todavia, agora o lojista vai “colher” uma parte do que “plantou” ao longo do ano através dos relacionamentos, do investimento em fidelização, em atendimento, marca e imagem.
Neste sentido algumas coisas só poderão ser feitas para o ano que vem, pois o fim de 2012 está aí e você deve planejar o seu 2013. Mas vamos a algumas atitudes de efeito imediato: revise a fachada e veja se está limpa, bem cuidada e bem iluminada! Ainda dá para melhorar alguma coisa? Então faça rápido! Revise a vitrine varias vezes por dia e veja o que pode ser feito para melhorar. A organização da loja, a exposição de produtos e a limpeza são parte do que o cliente compra. Organize bem a exposição de produtos de acordo com as orientações do merchandising. Reforce a iluminação dirigida aos produtos e dê uma boa analisada na sua equipe pensando na qualidade do atendimento, entusiasmo e também se a quantidade de pessoas é o suficiente para atender ao aumento da demanda.
Em nossas pesquisas com consumidores, os casos de mau atendimento, incluindo o descaso com o interesse do cliente, deixam transparecer muitas vezes que determinadas lojas ou determinados vendedores não estão interessados em vender. Muitas vezes isso ocorre por cansaço, ou por pré-julgamentos de que cliente com determinada imagem não vai comprar nada! Muitas destas situações é onde se perdem vendas importantes! O lojista deve estar muito atento  a isso e acompanhar bem a sua equipe, conversando observando, apoiando e orientando. Estímulos na renda dos profissionais são importantes, mas não deve ser esquecido do conforto, do apoio e orientação a sua equipe que garantirá os resultados da sua empresa para os próximos meses.

JM – Muitas vezes lojas de segmentos semelhantes oferecem produtos semelhantes ao consumidor. O que os empresários devem fazer para que o consumidor venha para a sua loja e não para o concorrente?
Blume – Primeiramente, a localização é um ponto fundamental para ser a loja “escolhida”, considerando o estacionamento, a proximidade  com outras lojas onde o cliente faz a comparação e facilidade de acesso. Depois, a fachada precisa estar bem cuidada e chamar a atenção do cliente que o lojista quer atrair. A vitrine deve ser trocada com uma periodicidade adequada para o ponto, atividade e segmento alvo, tendo sempre um número limitado de produtos expostos, além de uma iluminação adequada tanto para a noite, quanto para o dia. Ao longo do dia para evitar que o reflexo a claridade extrema dificulte a visão dos seus produtos, deve-se reforçar a iluminação sobre os produtos e de cima para baixo, bem próximo ao vidro da vitrine. A fachada e a vitrine são o outdoor da loja, sendo uma grande mídia do varejo.  A imagem mental que as pessoas têm da loja também é fundamental para os clientes escolherem esta o aquela loja e neste aspecto o nome, a identidade visual da loja, o atendimento e os comentários de outros clientes são decisivos para ganhar ou deixar de ganhar clientes.
A tecnologia pode auxiliar a reduzir filas, estimular compras, agilizar o atendimento e ainda pode dar tempo de investir nisso. Pesquise, pois há soluções muito interessantes e prontas para seu negócio!
Chegou aquele momento em que fica mais evidente que todos os setores são concorrentes entre si, pois podemos presentear com flores, perfumes, jóias, roupas, brinquedos, jogos, equipamentos, utensílios, bebidas, comidas, móveis, viagens, cursos, veículos... Por isso, você precisa mostrar que o que você vende é a melhor opção entre todas estas!         
JM – Que diferenciais são levados em conta pelos consumidores na hora de escolher um produto, como um presente de Natal?
Blume – Todos gostamos do melhor, mesmo que nem sempre estamos dispostos a pagar o que é cobrado. O cliente moderno quer o melhor, quer agora e pelo menor preço possível e nossas lojas precisam estar preparadas para isso. Presentes que possam emocionar de alguma forma, seja com entretenimento, beleza, carinho, conforto, proximidade, entre outros tendem a ser preferidos nesta data.
Mostrar benefícios que seus produtos proporcionam, envolvendo de alguma forma possível a emoção, podem auxiliar na inclusão de mais produtos na opção pelo presente a ser oferecido a familiares, amigos e colegas.
JM – Que ramos de negócios ficam em evidência nos meses finais do ano?
Blume – O varejo de bens duráveis tem uma procura maior, sem dúvidas, mas nos últimos anos temos percebido que todos os setores têm aumento de demanda pela procura do consumidor final, ou pelo fornecedor do cliente, ou ainda pelo fornecedor do fornecedor. Podemos dizer que toda a cadeia produtiva tem um incremento significativo com as vendas do fim de ano. Algumas pesquisas mostram que os produtos eletrônicos como tablets, smartphones e jogos eletrônicos estão atraindo o interesse de pessoas de todas as idades e faixa de renda. Os produtos importados como alimentos e bebidas de inúmeras nacionalidades também aparecem em determinados segmentos. Ainda, há espaço crescente para presentes que fogem do convencional, como produtos alternativos que marcam pela criatividade, bom gosto, alinhamento com propostas e apelos de ecologicamente corretos, naturais artesanais, culturais, dentre outros.
Aproveito para lembrar que o grupo de Pesquisa em Gestão do Varejo da Unijuí, da qual faço parte, está iniciando pesquisa sobre os planos dos consumidores da região para os presentes de Natal. Os resultados devem ser apresentados nas próximas semanas e os lojistas podem ficar atentos para se prepararem melhor. 

    13 º salário deve dar incremento de R$ 131 milhões na economia brasileira
Os meses de novembro e dezembro são épocas em que é pago o 13º salário aos trabalhadores. “Os cálculos di DIEESE apontam para um incremento na ordem R$ 131milhões na economia brasileira, representando 3% do produto interno bruto, com mais de 80 milhões de trabalhadores, aposentados e pensionistas beneficiados. O número é o maior até hoje registrado, em função do aumento do número de empregados e de empresas formalizadas. “As pesquisas mostram que parte dos consumidores já fizeram compras com parte deste recurso, pois os lojistas criaram nos últimos anos vários atrativos para que o consumidor adquira produtos para pagar o 13º salário. Por tanto, agora é hora de receber o pagamento de parte disso que já foi vendido”, destaca Marcelo Blume.
“Costumo dizer que a melhor hora de vender é agora, uma vez que a maioria das compras são emocionais e por impulso. Por isso, o lojista e sua equipe de vendas podem aproveitar o momento onde o cliente está com disponibilidade maior de recursos, para um estímulo a levar o produto na hora e pagar no dia em que receber o 13º”, explica.
Por fim Marcelo Blume explica que “o desconto no pagamento à vista ainda atrai muitos consumidores e este argumento pode ser utilizado se o lojista quiser disponibilidade imediata. Todavia, cada vez mais o consumidor está atento para saber o que é mais vantajoso para ele e pagará à vista somente se houver uma diferença atrativa”.

Fonte: Jornal das Missões  - Caderno Especial "Vitrine de Fim de Ano" (Santo Ângelo 22 de novembro de 2012)

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Ter ou não ter um blog corporativo


Para iniciar o nosso contato desta semana compartilho frase do prof. Dr. Dado Schneider (PUCRS) “Mudar não é gostar do que está acontecendo, mas entender o que está acontecendo e se adaptar.” Até onde estamos aceitando e nos adaptando e quanto resistimos ao novo, com os mais diferentes argumentos, alguns deles desculpas, para não nos desacomodarmos?


Com o aumento vertiginoso da influência das mídias sociais na vida das pessoas, quem ainda não possui um blog corporativo deve estar avaliando esta possibilidade em seu planejamento. No livro  Manual de Marketing em Mídias Sociais (2010), Barefoot e Szabo, apontam os objetivos que devem levar uma empresa a ter o seu blog.
Fomentar o relacionamento com os clientes: Os clientes desejam ter diálogos francos e em tempo hábil com uma empresa. Eles querem maior acesso e mais informações sobre as atividades da sua organização. Os blogs podem funcionar mais para aumentar a boa vontade do para instruir os clientes, de maneira informal, sobre os novos conceitos e as tendências do setor de atividade da sua empresa.
Solicitar retorno do usuário: Aqui está uma verdade antiga da internet: se você não oferecer aos seus clientes um lugar para falarem sobre os seus produtos, eles vão criar seus próprios lugares. Empresas inteligentes permitem diálogos abertos com o seu público, assegurado poder “controlar” ou supervisionar o máximo possível essa online.
Recrutar novos empregados: Os blogs de uma empresa devem refletir a cultura organizacional. Blogs escritos por empregados entusiasmados ajudam os interessados em trabalhar na empresa a terem uma visão mais aprofundada de sua organização.
Pesquisar os mercados: Blogs fornecem um local ideal para se experimentar novas ideias e promover novos recursos para seus colaboradores mais apaixonados. Esses  são os mais prováveis leitores de seus blogs. Você obterá retorno imediato e geralmente bem informado. Blogs podem ser um grupo de foco sem a necessidade de se pagar o aluguel de uma sala e distribuir salgadinhos, por exemplo.
Fornecer suporte técnico: Os blogs podem se tornar outro canal para a sua equipe de suporte se comunicar com os usuários.
Conectar-se a jornalistas, analistas e blogueiros da sua área: Jornalistas e analistas estão entre os primeiros consumidores de blogs e do RSS. Além disso, muitos blogueiros se tornaram, para todos os efeitos, jornalistas em suas áreas de conhecimento.
Implementar  controle de danos: Para empresas de todos os tamanhos, os blogs são ferramentas de implementação rápida para controle de danos. Isso é, em parte, devido ao seu sistema de publicação, por meio de um botão, mas também por causa da transparência e autenticidade que os blogs tendem a promover.
Melhorar a comunicação interdepartamental: Quando diversas equipes participam do blog de uma empresa, você incentiva a troca natural de informações entre elas, assim como uma melhor percepção sobre os outros projetos da empresa.
Aumentar o perfil da equipe: Blogs podem ajudar os talentos dentro da sua empresa a brilhar e fazê-los se sentir reconhecidos pelas suas contribuições.
                Como você pode ver, um blog pode ter vários objetivos para a sua organização. Caso atender a um, ou a mais de um deles, lembre-se que é importante ter relevância e atualização periódica. Atendido a estes critérios, distribua as responsabilidades e boas publicações!

                 Um abraço e o desejo de ótimos negócios a todos! 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Reforçando a sua proatividade



                Um dos pontos que os profissionais necessitam investir individualmente é a sua proatividade, pois muitos se perdem na reatividade. Quem investe em autoconhecimento deve saber que gerenciar a si mesmo é algo desafiador para muitos profissionais. No mercado de trabalho, este atributo é frequentemente exigido e valorizado, principalmente em setores que buscam resultados. Sabe-se também que os profissionais que tem esta postura influenciam positivamente a equipe da qual fazem parte, ou lideram.
                A consultora Adelaide Lancaster apresentou algumas dicas na Revista Bens & Serviços (maio/2012 p. 32):
- Separe as tarefas imediatas de projetos futuros: não considere imediatas todas as suas atribuições. Aquelas que se enquadram no rol das imediatas também são menores e com porte para serem concluídas em menos tempo, otimizando o fluxo de trabalho para atividades mais importantes e que necessitam de mais tempo;
- Liste o que sabe e o que não sabe como resolver: quando não se consegue decidir por onde começar o ideal é parar para analisar o que se sabe fazer e o que precisa de mais informações.
- Tenha compromissos, mesmo que sozinho: ter um calendário de prazos faz o fluxo de trabalho andar. Mesmo quem é chefe de si mesmo deve ter compromissos, ainda que seja reservar um tempo na agenda para organizar as próximas datas e tarefas.
- Saiba hoje qual será o foco de amanhã: vale desenvolver um plano de ação para organizar os pensamentos. Estar preparado evita surpresas desagradáveis, permitindo trabalhar de maneira proativa e não reativa.
                 Ótimos negócios a todos! Um abraço!

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Marketing eletrônico e e-commerce


Ao preparar uma aula de Comunicação digital, marketing eletrônico e e-commerce, para esta sexta-feira e sábado para turma de Especialização em Marketing e Branding da URI campus de Frederico Westphalen, lembrei de muitos pontos que gostaria de compartilhar com os amigos leitores. A mobilidade está se consolidando como uma das mais fortes tendências dos últimos tempos no setor. Várias fontes como a Odig-net (2012) indicam que até
2016, o Brasil será o quarto país no uso de smartphones, e isso significa mais pessoas acessando a internet móvel. Por isso é fundamental você desenvolver o seu planejamento incluindo o marketing eletrônico e o e-commerce na sua atividade. É preciso desde adaptar os sites aos recursos móveis, como smartphones e tablets, até repensar a forma de se apresentar nestes canais de comunicação e vendas. Estão disponíveis para o Brasil tecnologias que permitem o auto-ajuste do site nas telas desses aparelhos, então, revisite o seu site e pense como tiver melhor proveito dessa tendência.
As pesquisas mais recentes da Câmara e-Net (2012) mostram que o número de compras na internet via aparelhos móveis cresceu 400% no primeiro semestre de 2012. Os pesquisadores entendem que esse número tende a crescer nos próximos anos e por isso, é fundamental que os profissionais em marketing deem uma atenção diferenciada para seus sites de e-commerce. O grande desafio do varejo, entretanto, é adaptar suas lojas virtuais para aparelhos móveis, facilitando cada vez mais a navegação, compra e pagamento quando usados em tablets e smartphones.
Algumas mudanças importantes são necessárias para aproveitar as tendências do marketing digital, seja em 2013 ou nos próximos anos. É necessária uma flexibilidade e adaptabilidade por parte dos profissionais envolvidos na área. Também é importante que profissionais saibam posicionar o marketing digital na estratégia da empresa, planejando e executando ações, mas principalmente mostrando os resultados que podem ser alcançados e da mesma forma, conforme forem sendo obtidos, visando reforçar o apoio da Direção a médio e longo prazo ao seu projeto de marketing eletrônico.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Telefone e e-mail auxiliando nas vendas



                Dicas de como atender e vender por telefone existem muitas e aproveito para compartilhar aos leitores o que orienta Jeffrey Gitomer, em a Bíblica de Vendas (2011). Este autor como outros, orienta que devemos sempre sorrir, enquanto falamos ao telefone, pois isso é percebido pelo interlocutor (mesmo sem ver você). Não esqueça de dizer o seu nome e de que empresa você está falando. Vá direto ao ponto sendo objetivo nas duas primeiras frases. Diga o que você quer, de modo sucinto e agradável, mas não esqueça de acrescentar um pouco de humor. Ofereça ou peça ajuda e diga que você tem informações importantes. Seja persistente, independentemente de qual for o objetivo que o levou até a pessoa... persista até consegui-lo.
                Sabe-se que muitos profissionais erram ao perguntar se a pessoa recebeu as informações que foram enviadas. O melhor é dizer que está ligando para complementar as informações enviadas, e para explicar melhor e por isso gostaria de conversar pessoalmente por alguns minutos. Esta comunicação vai funcionar de forma mais positiva e pode despertar mais interesse no que você está propondo. Gitomer sugere algumas boas frases para abrir uma fala ao telefone como: “Estive pensando no que vocês fazem...”, “Tenho uma solução para vocês...”, ou ainda “Tenho algumas informações importantes que produzirão um impacto positivo na sua empresa.”
 

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Comunicação e relacionamento organizacional


A frase para refletir sobre a sua empresa nesta semana é de Jeffrey Gitomer “O ponto certo é como um elevador. Ele irá até o último andar, mas só funciona se você apertar o botão certo.”


Nesta sexta-feira e sábado trabalharei com uma turma de Especialização em Gestão de Pessoas da FEMA a disciplina Comunicação e relacionamento interpessoal e ao preparar a aula lembrei de muitos pontos que gostaria de compartilhar com os amigos leitores. É fácil constatar que por desconhecer o funcionamento das emoções humanas, ou por pura inconsequência, são  gerados muitos problemas de produtividade, disciplina, motivação, planejamento, qualidade e organização no trabalho. Numa organização que não possui uma boa comunicação corporativa se verifica a corrosão de estruturas saudáveis e a inviabilização de projetos de longo prazo.A ideia (ingênua) de que a simulação da perfeição, seja forjada no discurso, ou na imagem, basta para silenciar as vozes dissonantes, não é apropriada. A emoção e os sentimentos que podem ser originados pela comunicação, seja ela formal, ou informal, diante da realidade, servem de guias internos e ajudam a comunicar aos outros o que se pensa naquele momento, segundo pesquisas de Egger-Moellwald (2011).
Desta forma, mesmo que de forma simples, você precisa fazer uso de reuniões periódicas, murais, atrativos visuais, e-mail, intranet, avisos em pontos estratégicos como o relógio ponto e outros vários meios que podem ser criados para a realidade do seu grupo. O importante é oferecer uma variedade de meios para se comunicar, lembrando que quanto maior o grupo, mais diversidade de formas de comunicação devem haver.
Em qualquer das formas de comunicação, devem ser levados em conta a ordem e as etapas necessárias para um bom efeito da comunicação como: 1º chamar a atenção, 2º gerar interesse, 3º despertar desejo pelo que estamos comunicando e 4º provocar a ação deseja por quem comunicou. Faça uma breve análise da periodicidade das reuniões com sua equipe, também da forma como ocorre a comunicação nestas reuniões e ainda os murais, os e-mails, os cartazes, a sinalização interna, as conversas informais e possivelmente vai encontrar vários pontos que possam ser melhorados para a comunicação da sua organização. Com uma comunicação melhor, os relacionamentos vão se desenvolver melhor, a partir da clareza das informações, da abertura para uma maior expressão das ideias e do aumento dos níveis de confiança.   

quinta-feira, 1 de novembro de 2012

13º salário irá movimentar R$ 131 bilhões



Com a chegada do final do ano, muitos profissionais já começam a criar expectativas e fazer planos com o 13º salário. Com a formalização crescente e o volume de empregos formais crescendo, a cada ano, cresce o número de empresas que aderem a essa bonificação. De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) o 13º salário deve movimentar R$ 131 bilhões na economia nacional em 2012. O valor é equivalente a quase 3% do Produto Interno Bruto do País.
                Neste ano, 80 milhões de pessoas serão beneficiadas com o 13º salário, sendo 49,3 milhões trabalhadores formais e 30,6 milhões aposentados e pensionistas. Ou seja, muita gente com mais recursos para comprar mais e pagar contas de compras já feitas. A sócia da Trade Contabilidade, Simone Domingues, alerta que nem todo este recurso vai para as compras, pois muitos precisam reduzir a utilização do salário para consumo em função da elevação do endividamento. O volume de brasileiros que possuem algum financiamento está estimado em 60 milhões de pessoas. “Com o aumento das dívidas, também cresce a cautela do consumidor, que na hora de ir às compras pode reduzir os gastos, o que interfere no potencial do Natal e no ritmo das atividades econômicas do País”, afirma Simone.
                Preparem-se para receber os pagamentos de contas anteriores e para vender mais, pois vai começar a circular um bom volume de recursos no mercado!

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

As pessoas compram pelos seus próprios motivos


Para iniciar a reflexão desta semana, compartilho uma frase de Jeffrey Gitomer: "Quando Vince Lombardi disse ‘Vencer não é tudo, é a única coisa!’, deveria ter substituído a palavra vencer por atitude, para chegar mais perto da verdade."
Desejo que que você tenha nos próximos dias, muita atitude em todos os momentos de sua vida!


Um dos maiores fatores de sucesso entre profissionais de vendas e gestores de vendas é terem “descoberto” que as pessoas compram pelos seus próprios motivos, não pelos motivos do vendedor ou da sua empresa. O autor Jeffrey Gitomer registrou algumas de suas máximas e dentre elas está: as pessoas não gostam que vendam para elas, mas adoram comprar.
É preciso saber POR QUE as pessoas compram o que compram, de quem compram e quando compram, para a partir desta informação, fazer o seu plano. Saber porque as pessoas compram é mais valioso do que saber como vender! (Gitomer, 2011). Os motivos para comprar irão levá-lo ao coração da venda e aos desejos dos clientes agirem. Também vai identificar porque alguns dos clientes que você deseja, não compram com você.
Saber as necessidades do cliente vai permitir que você saiba qual é a urgência das pessoas em comprar, além de descobrir como usarão e o que ganharão com o que você está vendendo. Com estas informações você poderá mostrar o quanto será vantajosa a situação de passarem a ter e fazer uso imediatamente daquilo que você está vendendo.  
O desejo é a parte emocional do processo de vendas. Quanto mais eles desejam algo, mais eles encontrarão um meio de possuí-lo. O desejo de possuir é similar às necessidades, mas com mais orgulho, pois é o orgulho de posse. Todo mundo quer possuir o melhor, considerando que nem todos estão dispostos ou não podem, pagar pelo melhor. Quem cria esta diferença é o vendedor. Gitomer (2011) afirma que o desejo de resolver problemas ou situações presentes em suas empresas também é um fator primário na compra de urgência. Quanto mais acreditarem que você é alguma forma de salvação, mais rapidamente eles comprarão.
As paixões são suas maiores formas de emoção, pois as vendas são feitas emocionalmente. As pessoas apenas as justificam de uma forma que pareça racional. Se as pessoas virem que você é uma pessoa apaixonada, por você revelar suas paixões a elas, mais elas estarão dispostas a compartilhá-las e portanto maior a probabilidade da venda ser realizada.

Oportunidade!!!


sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Criatividade nos negócios


Acredite que você pode ser mais criativo(a) e inovador(a). Muita gente precisa entender ainda, que criatividade se apreende e é no dia-a-dia. Por exemplo, você pode tirar 15min. por dia para pensar em como pode realizar seu trabalho de maneiras diferentes. Você não vai ter ideias novas se programar a sua mente para pensar e fazer sempre tudo da mesma forma.
Busque fontes de inspiração, conversando com gente reconhecidamente criativa. Assista filmes que estimulem sua criatividade. Leia ideias e a biografia de pessoas que são consideradas criativas. Aprenda com os outros, por exemplo, com os vendedores mais criativos que você conhece.
Coloque em prática suas ideias, pois um dos principais motivos que as pesquisas mostram ser a barreira para as novas ideias é o medo de errar! Se você acha que para colocar uma ideia em pratica precisa estar absolutamente seguro de que vai dar certo, é sinal de que você está se acomodando na mesmice, indo pelo mesmo caminho que os outros ou que você já conhece. Esse é o caminho mais confortável, mas nem sempre é o melhor e mais lucrativo.
Invista em desenvolver a sua criatividade e tenha se prepare para fazer negócios melhores.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Acabando com as filas



Tem fila na sua empresa? Por gastar horas em filas de bancos, clínicas, cartórios, ou serviços públicos, sabemos o quanto esta situação é desagradável, principalmente por que atualmente, temos cada vez menos tempo disponível para “aguardar”. Avaliando esta situação a empresa Guarda Fila criou o Sistema de Gestão do Tempo - SGT, uma solução que organiza, gerencia e traz flexibilidade para os clientes enquanto aguardam em filas de atendimento, permitindo que se mantenham informados e se ausentem do estabelecimento com segurança durante a espera. "Queremos mudar a percepção dos clientes sobre as filas, transformando a espera em um novo e agradável momento", enfatiza Paulo Queiroz, diretor da Guarda Fila, em entrevista recente para a Revista Administradores.
Conforme a entrevista, o sistema foi testado em empresas de vários setores, incluindo períodos com ações promocionais de grande concentração de públicos como Dia das Mães, Dia dos Namorados, sorteios de prêmios como apartamentos, joias, carros. Liberdade para os clientes aproveitarem melhor o tempo, como fazer outra atividade rápida, fazer um lanche, dentre outras, são algumas vantagens para o cliente. Para a empresa as vantagens são a redução de reclamações, organização do espaço de atendimento, redução da pressão, redução do espaço necessário para acomodar os clientes enquanto aguardam, dentre outras. Conforme a matéria divulgada, o SGT permite que as pessoas retirem uma senha, cadastrem seu número de celular no terminal e recebam uma previsão do tempo de espera. O cliente programa quantos minutos antes de ser chamado quer ser avisado. A partir deste tempo, é possível passear, lanchar, resolver pendências, enquanto a fila anda. Quando o momento do atendimento se aproximar, o cliente receberá uma ligação via o celular que cadastrou, informando o guichê que ele deve se dirigir. Ou seja, uma solução simples e prática, que facilita a vida de todos.
Se tiver fila em algum ponto de sua organização, a tecnologia poderá auxiliar para que seus clientes fiquem mais confortáveis e você mostre mais qualidade e organização no atendimento.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Seminário de Inovação



As 8h da manhã desta quinta-feira dia 25 de outubro, inicia o II Seminário de Inovação, promovido pelo PEIEX – Projeto Extensão Industrial Exportadora, em parceria com a Agência de Inovação e Tecnologia – AGIT – UNIJUÍ, no Salão Azul da Unijuí, campus Ijuí. Haverá apresentação de cases empresariais no início da manhã e as 10h20min Manoel Carlos Rivas Franco Junior, analista da Unidade de Inteligência Comercial da Apex-Brasil palestra sobre “Exportar é inovar – perspectivas do mercados Latino-Americano e Africano”.
Quem está avaliando a possibilidade de exportar para a América Latina e África, não pode perder este evento!

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Não seja mais um!



Sei que alguns de meus leitores trabalham em equipes onde parte da equipe está desmotivada. Para todos os que me escrevem ou que me abordam para falar a respeito, eu respondo primeiramente “Não seja mais um!”. A falta de motivação, entusiasmo, ânimo, costuma contagiar as pessoas ao redor. Esta dificuldade de algumas pessoas da equipe se espalha rapidamente e este é o principal motivo pelo qual a primeira orientação que faço sempre é para ficar longe dos focos de “contagio”, o máximo possível. É preciso se distanciar de gente que está frequentemente “para baixo”, pensando pequeno, influenciando quem está ao seu redor a “encolher” as suas mentes. Especialistas no assunto como o escritor e consultor Paulo Angelin, afirma: “este tipo de gente drena sua energia, mina suas esperanças e empurra o horizonte para bem longe”.
O que lhe impede de se destacar positivamente em meio a tanta negatividade? Nada! Pelo contrário, é inclusive bem mais fácil! Então aproveite a oportunidade e destaque-se encarnando a motivação, a inovação, o empreendedorismo, a força de vontade, a atitude, na sua equipe e você rapidamente será a referência da sua equipe. 

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Uma pergunta básica para sua empresa é “Por quê?”


"Um profissional de vendas bem-sucedido cuida primeiro do cliente, depois dos produtos". A frase que compartilho nesta semana é de Philip Kotler, lembrando que quem tem clientes pode ter muito o que oferecer a eles  e é por isso que se diz que o nosso principal negócio é o cliente, relação na qual os bens ou serviços farão o papel de satisfatores de algumas necessidades. 

Já se ouviu falar bastante de que mais importante do que ter as respostas, é ter as perguntas. E a pergunta vital para seus negócios é “Por quê?”. Alguns exemplos:
- Por que as pessoas compram de você?
- Por que compram o que você vende?
- Por que alguns dos profissionais da sua empresa não conseguem vender sem dar desconto?
- Por que não aumenta o ticket médio dos seus clientes?
- Por que o mix de produtos é limitado?
 Muitas empresas que estão no mercado passaram por diferentes “eras”. Conforme a conferencista Sílvia Campos, houve a época da mansidão, quando existiam poucos concorrentes no mercado e vender era fácil. Depois houve a época da pressão, na qual a inflação fazia as vendas serem fechadas rapidamente, antes que os preços subissem. A seguir veio a época da emoção, em que o otimismo e os ventos da democracia deixavam todos contentes ao fazer negócios. Seguiu-se a esta, a época da razão, quando sem inflação e com mais opções, os clientes começaram a escolher melhor os bens e os serviços.
Estamos agora na era da opção, onde os clientes não dependem das empresas para se informar, pois em 2 “cliques” eles perguntam nas redes sociais e pesquisam nas páginas de dezenas de empresas sobre aquilo que você vende. Vêm daí mais alguns “Por quês?” como Por que eles iriam falar com você? Por que confiariam em você? E, finalmente, por que comprariam de você?
Na era da opção, ou o nosso negócio é a melhor opção para o cliente, ou estaremos fora da decisão do cliente. Precisamos trabalhar com nossas equipes para sermos sempre a melhor opção daquele cliente que desejamos que fique conosco por muito tempo. Mesmo para aqueles que têm um alto índice de satisfação dos clientes, a fidelização destes só será garantida enquanto a sua empresa e seus produtos forem a melhor opção para estes clientes.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Para vencer uma eleição também precisa boa gestão


Vivemos agora o “rescaldo” do ambiente eleitoral que estávamos mergulhados nos últimos meses. Para quem gosta de estratégia e, ou de acompanhar a ação das diferentes agremiações, o desenrolar das campanhas, o resultado da eleição é a consequência das ações de cada grupo frente às ações dos demais.

                Para vencer uma eleição, muitas vezes todos os quesitos da boa gestão precisam ser aplicados. Primeiramente, é fundamental uma boa pesquisa para indicar qual a melhor composição da chapa e outra para identificar quais as principais necessidades de cada segmento da população. A estrutura organizacional da coordenação de campanha, com lideranças preparadas para dar uma boa governança para as diferentes equipes é o primeiro ponto  fundamental para um bom trabalho. A apresentação visual da campanha, conforme pesquisas e vários autores de marketing eleitoral, gera a percepção mais marcante no eleitorado e precisa ser atendida com o máximo de atenção ao longo de TODA a campanha, que deve dar uma impressão de crescimento e nunca de estagnação e retrocesso. Cerca de 83% das pessoas gravam muito mais o que veem, do que o que escutam. Avaliar continuamente o desempenho da campanha através de 4 a 6 pesquisas ao longo do pleito, sempre acompanhadas de uma boa análise estratégica da evolução de todos os candidatos em cada um dos segmentos, bem como as tendências é fundamental, pois algumas vezes um resultado correto, mas mal interpretado, pode levar a um erro importante. Após a cada pesquisa, o planejamento da campanha deve ser imediatamente revisado e a partir dele, ter construído um plano de ação para dar conta das correções de rumo apontadas na pesquisa. É preciso também fazer um check list para ver se tudo o que foi planejado a partir da pesquisa anterior foi executado a contento. A pesquisa seguinte deve avaliar a eficiência das ações realizadas no período.
                Planejamento e organização são fundamentais para qualquer campanha ser vitoriosa e por isso, fazer uso estratégico da informação da sua posição e da posição dos adversários faz muita diferença. Uma postura propositiva é cada vez mais bem vista pela população. É cada vez mais notório o que os cientistas políticos vêm mostrando, mas que muitas candidaturas ou não sabe, ou esquecem, infelizmente. O fato é que muitas questões que são discutidas em campanhas eleitorais, são importantes e são lembradas apenas pelo meio político. A população, os eleitores estão ávidos para saberem como cada candidato poderá melhorar a vida de cada pessoa. Desta forma, uma das principais estratégias de uma campanha eleitoral é o posicionamento, ou seja, como a candidatura irá se posicionar na mente das pessoas. Outra estratégia de suma importância é o foco, pois não é possível gravar todo o volume de propostas na mente todos os eleitores. Por isso, para cada segmento de eleitores, é preciso focar num pequeno conjunto diferente de propostas para serem melhor promovidas e valorizadas.
Para finalizar, lembro que a boa gestão, a organização e o planejamento da campanha podem ser um excelente exercício para desenvolver as mesmas práticas ao longo dos mandatos!

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

“Para ver muita coisa é preciso despregar os olhos de si mesmo.”



A frase é de Nietzsche e propícia para este momento, em que tanto os envolvidos diretamente na política avaliam por que venceram, porque não venceram, quanto para quem já está pensando no planejamento de 2013. Com 2012 tendo o 10º mês em andamento, é preciso fazer nestes mês, o planejamento, para no mês que vem, fazer o orçamento para 2013. Para isso, fazer uma avaliação sobre o que foi alcançado, executado do planejamento de 2012, é o primeiro passo. A frase do cabeçalho é para lembrar que vemos mais claramente, quando conseguimos olhar a tudo sob um prisma diferente da visão interna. Isso só é possível comparando cada situação do seu negócio, com a situação dos seus melhores competidores.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Curso de Administração realiza evento para marcar o Dia do Profissional de Vendas

Profissionais de vendas da região participaram do evento e receberam certificado Destaque Profissional Acadêmicos do Curso de Administração participaram na noite de terça-feira, 02, no Campus Ijuí, de evento para comemorar o Dia do Profissional de Vendas, que transcorreu no último dia 1º de outubro. 
O evento “Gestão e Profissionais de Vendas” foi organizado pelo professor Marcelo Blume e por acadêmicos da disciplina de Administração de Vendas.
Conforme explica Marcelo Blume, desde o início do semestre a turma, organizada em grupos, avaliou diversos profissionais de vendas atuantes na região do entorno de Ijuí e nas últimas semanas convidaram os mesmos para participar do evento, dando seus depoimentos sobre a profissão de vendas. Os convidados também receberam o certificado Destaque da turma de Administração de Vendas. 
O evento contou com a presença do coordenador interino do curso de Administração da UNIJUÍ/Campus Ijuí, professor Marcos Griebeler, que fez a saudação de abertura.
Receberam o certificado Destaque Profissional em Vendas os seguintes profissionais: Vilmar Mendonça, Marcos Fernando Paz de Almeida, Henrique Deboni Sandri, Aline Cristina da Silva, Cleverson Diego dos Santos, Cláudio Buchanelli, Vinícius Mendes, Felipe Cossetin, Marcelo da Costa, Alan Dischkaln do Amaral e Cleverson Diego.
Após a apresentação e fala dos profissionais de vendas, houve a palestra “Gestão de Vendas” proferida por Vinícius Mendes, atualmente Executivo de Negócios da RBSTV Santa Rosa e Missões, com experiências de coordenação de Negócios do Senac/RS, consultor e gestor de vendas em empresas na área de TI. No encerramento do evento a turma, os homenageados e os convidados participaram de um coquetel, organizado pela turma de Administração de Vendas.


terça-feira, 2 de outubro de 2012

Motivos para fidelizar clientes


Caros leitores, nesta semana, compartilho a frase de Henry Ford “Você não consegue construir uma reputação naquilo que você pretende fazer.” que nos lembra que a nossa marca, a nossa reputação, o nosso patrimônio moral, pessoal, profissional, intelectual e material só é construído a partir daquilo que efetivamente fazemos. Aquilo que pretendemos fazer só contribui com a nossa reputação, com a nossa vida de um modo geral, quando transformarmos de fato em ações e concretas.

Você já fez uma avaliação para ver quem são os seus clientes mais rentáveis e quem são os seus clientes mais fiéis? As empresas que fazem esta avaliação descobrem que os clientes fiéis também são os mais rentáveis, ou seja, fidelidade e lucratividade tem a mais alta correlação em nossos clientes. Aponto aqui algumas razões pelas quais os clientes fiéis são mais lucrativos para nossas empresas:
- Os clientes fiéis são mais lucrativos por que podem gastar mais conforme a relação se desenvolve;
- Podem passar a comprar de um único fornecedor, no caso, a nossa empresa;
- Clientes fiéis também custam menos para serem atendidos e cometem menos erros de interpretação, acesso e uso de bens e serviços;
- Recomendações dos clientes fiéis, para as pessoas de suas relações, atraem novos clientes para a empresa. Eles agem como vendedores não pagos e pela sua neutralidade, em alguns cosas com mais eficiência;
- A confiança leva à disposição para pagar preços constantes ao invés de procurar descontos e/ou ficar barganhando redução de preços.
                Além da lucratividade, é preciso investir na fidelização de clientes por vários motivos, mas especialmente para que haja um relacionamento mais saudável, honesto e duradouro! Com uma base de clientes fiéis, planejar o desenvolvimento do negócio também fica mais seguro.
                Para fidelizar mais clientes, é preciso construir um relacionamento para fazer com que o cliente confie em você, na sua equipe e na organização, pois assim ele terá segurança. Lembre-se que segurança é uma das necessidades mais básicas do ser humano. Se você, sua equipe, seus produtos e sua empresa passarem segurança para o cliente, estarão atendendo uma necessidade básica e mais facilmente fidelizarão seus clientes. A partir da segurança a sua marca poderá aumentar a percepção de confiança para os clientes e é preciso que todos tenham em mente que a CONFIANÇA é a base de um relacionamento duradouro!
                Procure também ter indicadores para sua empresa avaliar o aumento da fidelização e como isso impacta nos negócios. Alguns indicadores sugeridos são: ticket médio, share of pocket, share of mind, frequência de aquisição, tempo de permanência produtiva no PDV, dentre outros.
                Desenvolva ações objetivas que fidelizem um número cada vez maior de clientes e você fará mais e melhores negócios!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...